Donald Norman redefiniu o design ao colocar o consumidor no centro de todas as etapas do processo criativo. Isto significa que o design deixou de ser tão centrado na usabilidade ou na estética, para passar a focar-se nos interesses e nas necessidades de quem dele usufrui. Assim, no Design Thinking, o utilizador está no epicentro de qualquer processo de desenvolvimento. Entenda por que razão, neste artigo!

De método a mentalidade: Design Thinking

Sendo que parte do Design Thinking se centra na compreensão dos processos cognitivos estudados pelas ciências comportamentais, a análise de mercado, o feedback dos consumidores, o constante refinamento e a identificação de necessidades tornaram-se aspetos fundamentais na elaboração da estratégia organizacional.

De método a mentalidade, o Design Tinking tem como principal objetivo humanizar os processos de desenvolvimento de produto. Ou seja, é aplicada uma perspetiva holística à prestação de serviços. Os negócios passam a ser executados de homem para homem. Uma abordagem que encara o consumidor como um “co-desenvolvedor” e não como uma figura abstrata que se limita a comprar.

Design Thinking: como aplicar à minha empresa?

Embora não se trate de uma abordagem linear, é possível aplicar o Design Thinking à estratégia organizacional de qualquer empresa, seguindo algumas etapas básicas, entre elas:

1º – Identificar o problema

Ao empregar o Design Thinking, é necessário reunir o máximo de informação acerca daquilo que é viável desenvolver do ponto de vista económico, tecnológico e humano. Depois, é imprescindível reunir as ferramentas necessárias para produção. Assim, o processo só é iniciado quando se reúnem os meios e os fins necessários. Isto incluí adotar a mudança de mentalidade que o Design Thinking obriga, encontrando formas inovadoras de responder às necessidades e às exigências dos consumidores.

2º – Desenvolver

Na grande maioria dos casos, esta fase do processo é apelidada de Brainstorming. Aqui, são partilhadas ideias, expetativas, objetivos, meios, recursos, enfim, tudo aquilo que está na base de uma solução capaz de derrubar todas as impraticabilidades que se apresentem. ​​

3º – Envolver o consumidor

Vale a pena relembrar que o Design Thinking é uma metodologia de trabalho centrada no ser humano. Isto quer dizer que para problemas reais, são necessários clientes reais. É preciso colocar à prova as soluções desenvolvidas, criando protótipos verdadeiramente capazes de validar a fiabilidade da solução desenvolvida.

4º – Repetir

Repetir o ciclo de prototipagem é fundamental. No Design Thinking, há sempre espaço para melhorar. Depois de recolher o feedback e testar o produto desenvolvido, é hora de fazer ajustes, voltar a testar e voltar a recolher o testemunho dos clientes. Este ciclo deve ser repetido até que o feedback seja positivo e satisfatório.

O Design Thinking e a Estratégia Organizacional

O Design Thinking não se aplica apenas à produção. Os princípios do design são cada vez mais aplicados à estratégia e à inovação. Motivo que causa uma evolução drástica da taxa de sucesso das empresas que adotam o Design Thinking.

A verdade é que o Design Thinking pode ser aplicado a qualquer problema que precise de uma solução criativa. A sistematização das ideias por trás do Design Thinking é cada vez mais utilizada na administração de empresas. Colocada à disposição da estratégia organizacional, ela tem o potencial de (r)evolucionar a geração de valor de qualquer entidade. Tratando-se de uma metodologia multidisciplinar, ela ocupa-se de resolver questões muito distintas. Assim, ao contrário do que acontecia há alguns anos, o centro das atenções está no design, no cliente e na experiência do consumidor: elementos que estão na origem do sucesso de qualquer negócio.

Medd: para o design da sua farmácia

Para a equipa de arquitetos e designers da Medd o céu é o limite! No universo do design de interiores, as possibilidades são infinitas. Desde materiais, texturas, acabamentos ou pormenores, cabe-nos saber como conjugar todos os elementos de forma harmoniosa e funcional. Assim, primamos por criar uma relação de confiança e proximidade com os nossos clientes e fornecedores, para que o resultado das nossas remodelações seja exatamente aquilo que sonhou!

Fale connosco!

Peça já o seu orçamento!

Contacte-nos!

Quer ter acesso às novidades?

Quer ter acesso às novidades?