Com o modo de voo ativado, a economia move-se a um ritmo particularmente prudente. Olhar para a Indústria Farmacêutica numa perspetiva digital, recorrendo à implementação de soluções tecnológicas para ultrapassar os obstáculos impostos pelo distanciamento social, é o caminho a seguir no sentido de garantir a longevidade de qualquer negócio. Entenda porquê, neste artigo!

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades

O coronavírus, ou COVID-19, tem vindo a deixar mossa na economia nacional. Enquanto que no princípio se assistia a uma corrida às farmácias na busca de gel desinfetante e dos mais variados produtos de parafarmácia, hoje em dia a história é outra. Com o distanciamento social veio o abrandamento do comércio.

É neste contexto que o e-commerce começa a ganhar maior protagonismo. Para muitos players da Indústria Farmacêutica, este é um momento crítico. Num setor onde a grande maioria dos processos são abrangentes, críticos e regulamentados, começam a ser implementadas soluções digitais de última geração, de forma a satisfazer as novas gerações de compradores e fazer frente à situação imposta pela pandemia provocada pelo novo coronavírus. Portanto, é justo dizer: na Indústria Farmacêutica, digitalizar é a nova palavra de ordem!

Digitalizar: o que é?

Digitalizar é o processo que dá origem à revolução que perturba a forma como os negócios se concretizam. Trata-se de uma perturbação com efeitos transformadores na geração de valor, especialmente num contexto como o atual. Na indústria farmacêutica, digitalizar é atender às exigências do consumidor, fazendo uso de redes e serviços digitais capazes de otimizar a prestação de serviços.

Digitalizar: por onde começar?

A internet tem sido amplamente adotada para o estabelecimento de relações pessoais e comerciais. À medida que o uso da internet se torna universal, é cada vez maior o número de farmácias que utilizam a Internet para exibir e divulgar informações acerca de medicamentos e produtos. Isto acontece por meio da implementação de ecrãs táteis de venda, através dos quais os consumidores podem facilmente efetuar a compra de produtos que não necessitam de prescrição médica. Dentro ou fora das farmácias, estes dispositivos facilitam a compra e venda de produtos, agilizando as trocas comerciais e chamando a atenção dos consumidores.

Da mesma forma, artigos de higiene, dermocosméticos ou produtos para bebés são cada vez mais procurados pelos adeptos das compras online. Motivo que leva muitas farmácias a aderir ao e-commerce. Uma tendência que permite aos clientes das farmácias pedir medicamentos a partir do conforto das suas próprias casas, ou mesmo em movimento, através de aplicações móveis disponibilizadas em smartphones ou tablets. Uma farmácia online bem projetada é uma excelente maneira de melhorar as relações com clientes, mas também com fornecedores e outros comerciantes.

Por outro lado, ao implementar soluções de gestão desenvolvidas a pensar nas necessidades da indústria farmacêutica, é possível eliminar tarefas rotineiras, repetitivas e monótonas. Aceder a uma base de dados com todos os medicamentos e produtos de parafarmácia disponíveis em loja, fazer o registo de pacientes ou a comunicação da vacinação, realizar o rastreamento da cadeia de abastecimento ou validar cartões associados a entidades comparticipadoras, torna-se mais fácil com plataformas digitais de gestão como a LOGITOOLS. Assim, satisfazer as necessidades dos clientes e incrementar a capacidade de resposta são objetivos assegurados.

O Impacto da Digitalização

Atualmente, o mercado farmacêutico encontra-se em constante e rápida mudança. Com um ambiente regulamentar e legislativo cada vez mais complexo e apertado, a fasquia da competitividade está cada vez mais alta. A realidade é que as atuais iniciativas para digitalizar o setor impulsionam uma maior colaboração e a adoção de novos modelos de negócio. Ora, para que as empresas farmacêuticas acompanhem o mercado e os seus concorrentes, é fundamental compreender o impacto que a digitalização tem nos negócios.

Foco na experiência do consumidor

Digitalizar é colocar a satisfação do cliente no centro de toda a atividade, seja ela qual for. Entender as necessidades de quem procura os seus serviços e saber exatamente quem é o seu cliente. Depois disto, é fundamental criar e manter uma comunicação fluída com eles, através das redes sociais. Com estratégias de marketing preditivo poderá alimentar o seu canal de vendas online, de forma sustentada e efetiva. Ao mesmo tempo, poderá estabelecer uma relação próxima com os seus clientes, incrementando os seus níveis de satisfação e melhorando os resultados.

Criação de redes de colaboração

Ao digitalizar, a indústria farmacêutica é obrigada a rever o seu portfólio, transformar os seus processos de negócio, colaborar ou entrar em alianças estratégicas para se manter eficiente e atual. Soluções digitais inseridas no espectro da Tecnologia da Informação têm o potencial de fomentar a colaboração e incentivar a criação de novas alianças que podem abrir portas a novos e melhorados modelos de negócio.

O estabelecimento de ecossistemas digitais é um perfeito exemplo disso mesmo. Definidos como redes de interação entre organismos, entidades, organizações ou empresas, estes ecossistemas geram resultados mutuamente benéficos a todas as partes neles envolvidos. Neste tipo de ambientes, cria-se a atmosfera ideal para a criação de serviços flexíveis que rapidamente se adaptam às necessidades de uma economia em constante mudança.

Otimização de processos operacionais

Nos setores de produção ligados à Indústria Farmacêutica, o chavão do 4.0 torna-se cada vez mais ensurdecedor. A Internet das Coisas e a hiperconectividade contribuem para a melhoria integral dos processos operacionais, evitando perdas de tempo e produtividade. Por outro lado, tecnologias como o Big Data resultam numa tomada de decisão mais sustentada, contribuindo para a sustentabilidade dos negócios.

Digitalizar: o caminho para a Farmácia do Futuro!

Mesmo com a ameaça do coronavírus à espreita, não há motivo para não mudar o script e digitalizar. Transformar as dificuldades em oportunidades e (re)desenhar o futuro da Indústria Farmacêutica. Encontrar formas de responder às exigências de uma nova geração de consumidores, sedentos por inovação e tecnologia. Em tempos como este, não há nada como encarar a adversidade com ânimo e pragmatismo. Defina novas estratégias de negócio e adira à digitalização. Comece já a preparar o futuro!

Quer ter acesso às novidades?

Quer ter acesso às novidades?

SOMOS ESPECIALISTAS EM ARQUITETURA E REMODELAÇÃO DE FARMÁCIAS
SOMOS ESPECIALISTAS EM ARQUITETURA E REMODELAÇÃO DE FARMÁCIAS