Quem olha para a comunicação visual das farmácias portuguesas de hoje, dificilmente consegue encontrar semelhanças com a das décadas anteriores. As mudanças foram profundas e, arriscamos dizer, para melhor.

Farmácias mais coloridas e centradas no serviço aos utentes

Já lá vai o tempo em que os produtos da farmácia estavam disponíveis apenas atrás do balcão e exclusivamente ao alcance do farmacêutico. Onde para trás do balcão apenas se passava para tomar uma injeção ou medir a tensão arterial.

Com o passar dos anos e a evolução dos serviços e produtos vendidos nas farmácias, estes espaços começaram a ver o seu layout diversificar-se e mudar o seu rígido conceito. Nasceram, assim, novas formas de exposição, com mobiliário como lineares e gôndolas personalizados (veja porquê investir em mobiliário de farmácia), que desenham o espaço e guiam o utente pelas suas necessidades mais ou menos básicas, centradas na sua saúde ou mera preocupação estética.

O poder da sinalética e da comunicação visual

Numa lógica mais dinâmica e independente, o utente pode agora encontrar exatamente aquilo que procura sem depender do farmacêutico para isso. Mas, para isso, precisa ser “guiado” e saber exatamente onde pode encontrar cada produto ou serviço. Nem todos temos a mesma personalidade e os utentes devem, por isso, ser bem informados de e sobre todos os produtos que podem encontrar na sua farmácia. E essa identificação, a que chamamos de “sinalética” poderá, ainda, ajudar a decorar o seu espaço e reforçar a sua identidade/comunicação visual.

Veja alguns exemplos de como a sinalética, quando bem desenvolvida, poderá não só identificar as zonas da sua farmácia, como também ajudar a construir a sua imagem e a vender os seus produtos:

A comunicação visual ao serviço do atendimento

Com uma comunicação clara da exposição dos produtos, o farmacêutico pode centrar-se totalmente no atendimento personalizado ao seu utente. Poderá dispensar mais tempo a conhecer e auxiliar o seu público, que já é tão informado e esclarecido, muitas vezes pela própria farmácia que está cada vez mais empenhada na literacia da saúde dos seus utentes. Dedique-se, assim, a conversar com o seu utente sobre os produtos que escolheu, sugerir alternativas ou complementos, ou mesmo sobre o seu problema ou preocupação, como um conselheiro. Porque este papel não deverá nunca ser esquecido, o farmacêutico tem, na sua profissão, uma incontornável dimensão social e comunitária. Tire o melhor proveito disso, também através do bom uso da sua comunicação visual.

Escolha a melhor forma de vincular os seus utentes, fazendo-os sentirem-se bem no seu espaço.

E esse vínculo poderá, também, ser estabelecido por meio da sua comunicação visual. Porque todos os elementos do seu espaço comunicam, da luz ao mobiliário, passando pela cor e por outros elementos decorativos como este sofá, na Pharmacie do Pole Sante, em Puy-en-velay, França.

Aposte no design da sua farmácia, otimize o seu espaço e rentabilize o seu negócio. Tem dúvidas? Fale connosco! Há 20 anos que nos dedicamos 100% a criar os melhores espaços de saúde.

SOMOS ESPECIALISTAS EM ARQUITETURA E REMODELAÇÃO DE FARMÁCIAS
SOMOS ESPECIALISTAS EM ARQUITETURA E REMODELAÇÃO DE FARMÁCIAS